Silvipastoril

Pecuária e Eucalipto a Fórmula do Sucesso.

Por que Plantar Eucalipto é um Bom Negócio?

Fique por Dentro dos Lucros e Rendimentos.

Madeira de Reflorestamento

Análise do Mercado.

Integração Lavoura - Pecuária - Floresta

Entenda os Benefícios Econômicos, Ambientais e Sociais da ILPF.

Por que Pellets?

Maior Valor Energético por Tonelada.

Eucalipto Rende Mais que Poupança.




  Hoje em dia plantar eucalipto é uma ótima oportunidade de ganhar dinheiro mais facilmente, e tem gente que acredita que é muito melhor que uma poupança. O plantio de eucalipto tem virado febre em muitas regiões do Brasil, e ele poderá ser aproveitado depois de seis anos. 

  O bom é que uma vez plantado, após seis anos ele poderá ser derrubado e sua madeira poderá ser usada para vários fins, como madeira para moveis, para construções de casas, para mourão de cerca, ou então para ser vendido como lenha. 

  Árvores plantadas em uma pequena área da fazenda podem ser uma alternativa de investimento, em tempos de queda do rendimento das aplicações de renda fixa de incerteza na bolsa.



Quanto renderiam R$ 3 mil aplicados em uma caderneta de poupança durante 13 anos?


  Pelas novas regras anunciadas pelo governo federal, seria possível resgatar não mais do que R$ 5,4 mil. Mas, se esse mesmo valor fosse investido no plantio de árvores como eucalipto, mogno africano, teca, ou mesmo em seringueira e acácia, a conta ficaria mais atraente. Enquanto na poupança o rendimento gira em torno de 6% ao ano, no eucalipto, por exemplo, a rentabilidade beira os 13%. Um hectare de eucalipto, em uma conta simplificada, se transformaria em R$ 36 mil após 13 anos, seis vezes mais do que a poupança tradicional. 

  Nos cálculos entram apenas os custos com o preparo de solo, adubação, controle de ervas daninhas, com a compra das mudas e as receitas obtidas com a venda de 300 metros cúbicos de madeira, hoje cotada em torno de R$ 120 o metro cúbico. “Com essa idade, a madeira pode ser vendida para o setor moveleiro”, diz o professor Márcio Lopes da Silva, da Sociedade de Investigações Florestais (SIF), departamento de engenharia florestal da Universidade Federal de Viçosa (MG). Segundo ele, o cultivo da madeira como poupança é uma atividade recente no País. “Olhar uma árvore como poupança é um dado novo no setor e uma tendência crescente”, diz Lopes da Silva. “A produção funciona como um fundo de investimentos e o produtor dispõe dele no momento em que achar necessário.”

  Segundo César Augusto Reis, diretor-executivo da Associação Brasileira de Florestas (Abraf), em Brasília, o cultivo da madeira é de ciclo longo, por isso, pode entrar na propriedade como atividade complementar. Muitas empresas têm programas de fomento, com doação de mudas, insumos e garantia de compra da madeira , diz. “Quem quer a madeira como poupança também pode aproveitar oportunidades como essas”, diz o diretor.

Eucalipto: Plante 1 e Colha 3.


Quando você planta uma árvore de eucalipto, colhe 3, ou seja, se plantar 10 árvores, colherá 30. Assim como se plantar 100 mil árvores, colherá 300 mil. 

Não. Não se trata de nenhum truque de mágica, estamos nos referindo a Rebrota do Eucalipto. Pois o eucalipto atinge 1 brota e 2 rebrotas com grande produtividade.

As rebrotas do eucalipto podem variar de acordo com a espécie plantada. Por exemplo, as espécies como Eucalipto saligna, Eucalipto citriodora e Eucalipto urophylla apresentam melhor rebrota do que as espécies Eucalipto grandis e Eucalipto pilularis.

Para uma melhor capacidade de rebrota e sobrevivência das brotações é importante antes do corte aplicar fertilizante nas entrelinhas do eucalipto, em sulco ou a lanço. As árvores devem ser cortadas na época das chuvas, fazendo o corte o mais próximo possível do solo, deixando o mínimo de madeira na cepa da árvore.

Após o corte deve-se limpar ao redor das cepas, retirando galhos, folhas e cascas, para evitar o abafamento da brotação. As madeiras cortadas não devem ser empilhadas sobre as cepas e jamais utilizar fogo para limpeza da área. O eucalipto exige solos bem preparados, por isso nas áreas de brotação devem ser realizadas gradagens entre as ruas das cepas, usando grade de discos para eliminar ervas daninha, e ao mesmo tempo podar as raízes das cepas, aumentando o seu vigor.

Como cada cepa irá apresentar vários brotos, será necessário a desbrota das cepas, ou seja, retirada dos brotos extranumerários, mantendo de dois a três brotos por cepa. Para selecionar corretamente os brotos é necessário aguardar o crescimento dos brotos por pelo menos um ano ou até que ocorra diferenciação clara entre eles.

Passado de dois a três meses após o corte das árvores, é interessante identificar as cepas que não tiveram brotação e ao lado destas plantar novas mudas já bem desenvolvidas com idade de 6 a 8 meses, especialmente produzidas em viveiros.

O rebroto do eucalipto traz árvores de menores dimensões, no entanto se não houver perspectivas de mercado para estas, será necessário eliminar as cepas e refazer o plantio de novas mudas.


Quantas Árvores Você Consome Durante a Vida?




Tomando como base uma pessoa de 68 anos de idade e que uma árvore de eucalipto em idade de corte produza cerca de 0,38 m³ de madeira (ano 1998), essa pessoa terá consumido ao longo de sua vida:

Consumo per capita de papel = 38,8 kg/ano
24 Árvores/Pessoa
Casa de madeira com 45 m² = 5 m³ de madeira
0,5 Árvores/Pessoa
Carro de 500 kg de aço = 1,25 m³ de carvão vegetal
4,5 Árvores/Pessoa
Consumo anual de energia = 200 milhões m³ de madeira
272 Árvores/Pessoa
Armários/Mesas/Cadeiras/Camas/Utensílios
6,5 Árvores/Pessoa
Total de 307,5 Árvores/Pessoa
Fonte – UFV (Universidade Federal de Viçosa – MG) 
  
Portanto, das mais de 300 árvores consumidas por uma pessoa ao longo de sua vida, cerca de 97% desse consumo pode (e deve) ser de madeira de áreas reflorestadas. 

E você, quantas das suas 300 árvores já plantou? 
 Plantar árvores é um jeito simples de proteger e apoiar o meio ambiente, a agricultura, o abastecimento de água, o desenvolvimento comunitário e a saúde, bem como o clima mundial. E além de tudo isso, plantar uma árvore, é uma maneira de deixar a sua marca no mundo. Uma lembrança de que passamos por aqui.

Para que não reste desculpas, segue abaixo um tutorial de Como plantar uma árvore. 


O Eucalipto Consome Muita Água?


Ao eucalipto se atribui estranhas propriedades e capacidades, tais como diminuir a formação de chuvas devido ao poder esterilizante das substâncias que suas folhas exalam, ou causar a morte das abelhas ou, ainda, criar um “deserto verde” pelo fato de ser naturalmente  antagônico à flora e à fauna. 

O aspecto mais forte deste mito, todavia, é com relação à água, onde o eucalipto teria a inusitada capacidade de consumir enormes quantidades, secando o solo, as nascentes e o lençol freático. 

Na verdade, o consumo de água pelo eucalipto é idêntico a outras espécies florestais.
  
  Todavia, a elevada adaptação bioclimática do eucalipto, faz com que na presença de água, em abundância, este produza mais madeira por unidade de tempo, resultando num maior consumo de água.
  
 O eucalipto tem, por isso, a capacidade de crescer racionalizando a disponibilidade de água, podendo também armazená-la para que possa ser utilizada em períodos de maior escassez.

Alguns dados, como os apresentados na Tabela abaixo mostram que as plantações de eucalipto consomem uma quantidade relativamente menor de água que as florestas nativas.


Diferentes tipos florestais
AmazôniaMata AtlânticaPlantio de Eucalipto
Consumo de água
(mm/ano)
1.5001.200900 a 1.200
Fonte: CIB

Além da similaridade entre o consumo de água entre as diversas espécies florestais e o eucalipto, estudos também demonstram que, comparativamente a outras culturas agrícolas, o eucalipto não se destaca no ranking de consumo hídrico. A Tabela 2 compara o consumo de água de eucalipto com outras culturas. É possível notar que o deste se equipara ao consumo hídrico do café, também uma espécie arbórea, e é inferior ao da cana de açúcar, por exemplo.


Quantidade de água necessária durante um ano (ou ciclo) da cultura
CulturaConsumo de água (mm)*
Cana de açúcar1000 - 2.000
Café800 - 1.200
Eucalipto800 - 1.200
Citrus600 - 1.200
Milho400 - 800
Feijão300 – 600
*Cada milímetro corresponde a um litro por metro quadrado
Fonte: Calder et al., 1992, e Lima W. De P., 1992

O consumo de água deve ser sempre analisado de duas maneiras:
  1. em termos do consumo total anual, como já demonstrado nas tabelas acima;
  2. em relação à eficiência do uso desse total de água, em termos da quantidade de madeira/produto produzida por unidade de água consumida na transpiração, na qual o eucalipto leva até ligeira vantagem. Ou seja, usa a água disponível de forma mais eficiente.

Tabela abaixo mostra a eficiência de consumo de água do eucalipto comparativamente a outras culturas agrícolas.

Comparação entre o consumo de água do eucalipto e o de outras culturas
CulturaEficiência do uso da água
Cerrado1 kg de madeira/ 2500L
Batata1 kg de batata/ 2000 L
Milho1 kg de milho/ 1000L
Cana-de-açúcar1 kg de açúcar/ 500L
Eucalipto1 kg de madeira/ 350 L
Fonte: Novais et al, 1996
As informações acima mencionadas e os inúmeros estudos experimentais demonstram que o eucalipto não é o “vilão” em relação ao fluxo hídrico, e que a controvérsia não é fundamentada. A questão não é apenas técnica, física ou biológica, mas, sim, de manejo e gestão dos recursos. Neste sentido, o setor de celulose e papel entende que, mais do que saber qual é o consumo de água pelo eucalipto, a nova ordem social e ambiental exige saber como ocorre esse consumo.

Saiba Mais:
  • Aos 7 anos de idade, uma árvore de eucalipto já devolveu cerca de 70% dos nutrientes que retirou do solo, sob a forma de folhas e galhos;
  • As raízes, folhas, galhos e cascas de eucalipto que são depositados no solo ao longo do seu desenvolvimento contribuem para a sua saúde e conservação.
  • Uma árvore de eucalipto de 7 anos de idade tem aproximadamente 25 metros de altura e 18 centímetros de diâmetro. Ela é capaz de produz 3 fardos de papel.
  • Por não ser nativo do Brasil, o eucalipto é imune a uma série de insetos e fungos. 


    10 Passos para Iniciar o Plantio de Eucalipto.



    1. ESCOLHA O LOCAL PARA O PLANTIO.

      Ponto principal no inicio de qualquer atividade, o local é um assunto complexo de se pensar. Contudo, quando se fala em reflorestamento, em especial eucalipto, não há muito o que se analisar. A vantagem desse tipo de plantio, é que o local não influência muito a atividade, ou seja, sendo a propriedade inclinada demais, com altos e baixos, isso não diferencia. O Eucalipto se adapta a qualquer situação.

    2. LIMPE TODA A ÁREA.

      Para que não haja problemas no inicio do plantio de eucalipto e no seu crescimento, costuma-se adequar a área e deixá-la limpa. O sucesso pode ser garantido ai, logo no inicio, erradicando algumas pragas do solo.

    3. PLANEJE OS CAMINHOS/CARREADORES.

      Esse vai ser os gargalos de sua floresta. Planejar os carreadores no inicio é muito importante, pois, principalmente para o cuido, poda e posteriormente para a sua retirada, esses serão os canais de ligação para com a entrada principal da fazenda.

    4. O ESPAÇAMENTO É MUITO IMPORTANTE.

      O espaçamento vai variar de acordo com seu foco. Em tese, tende-se plantar o eucalipto para a Laminação e Faqueação em uma distância de 3 x 3, uma vez que assim eles tendem a se desenvolver melhores. Em caso de outras atividades como carvão, a lenha, costuma-se plantar com 3 x 2, já que esse tipo de plantio não necessita de tanto desenvolvimento em diâmetro.

    5. ADUBE DE ACORDO COM A NECESSIDADE DO TERRENO.

      Nunca pense em adubar a terra achando que isso pode melhorar o desenvolvimento do plantio. Faça uma analise da terra, verifique quais nutrientes ela necessite e aloque de acordo com isso, com o parecer de um técnico.

    6. ESCOLHA AS MUDAS QUE SE ADAPTAM MELHOR A SUA REGIÃO.

      Hoje, é fato que muitas propriedades já têm eucaliptos plantados e algumas podem e devem ser usadas de modelo. Busque informações de mudas que se adaptam melhor ao clima de sua região, ao solo, e se possível, adquira mudas que já foram plantadas e deram certo. Isso é fundamental.

    7. CUIDE DO TRANSPORTE DAS MUDAS.

      Após adquirir as mudas, tenha sempre o cuidado para transportá-las. Certifique-se de que o viveiro pela qual você esta comprando, tem condições de lhe entregar com o manuseio correto, sem que as mudas possam vir a estragarem.

    8. MANTENHA AS MUDAS EM LOCAIS ADEQUADOS.

      Na maioria dos casos, esse é um problema para o plantio de eucalipto. Em condições adversas do tempo, o ideal é manter a mudas em estufas os “mini-viveiros”. Neste caso, busque parceiros que já possuam estes ou procurem o transporte das mudas em períodos certos para o plantio. O planejamento é essencial.

    9. PLANTE SEMPRE EM PERÍODOS CHUVOSOS.

      Evidentemente depois de varias analises, pôde-se chegar à conclusão de que o eucalipto se desenvolve melhor quando este for plantado em períodos chuvosos, em especial na chuva. A raiz da muda tende a se desenvolver mais rapidamente o que diminui suas percas por morte.

    10. FAÇA A MANUTENÇÃO DA FLORESTA DE ACORDO COM SUA FINALIDADE.

      Se a sua intenção é o plantio para lenha, esse tópico não se adapta a você. Para aqueles que tendem a usar a madeira para Laminas Faqueadas e Torneadas, há alguns cuidados e isso gera um pouco mais de gasto a serem efetuados. Primeiramente, é necessário fazer as podas dos galhos periodicamente para o não surgimento de nós. Isso pode desclassificar e muito o produto posteriormente. Com aproximadamente 4 anos, o ideal é que 20% das arvores sejam raleadas para o que as que permanecerem possam se desenvolver melhor. Mesma coisa com 6 anos. Com isso, as que permanecem, vão ganhando em termos de diâmetro e geram maior volume na venda final.  

    Eucalipto: Melhor Plantar com Clone ou Semente?


      O consultor Celso Medeiros explica as principais características do plantio com sementes e do cultivo desenvolvido com clones. É possível observar em relativo pouco espaço de tempo as diferenças entre um crescimento normal e um no qual são tomados os devidos cuidados para evitar qualquer problema para o desenvolvimento das árvores.

      As florestas de eucaliptos devem sim seguir criteriosamente a sua plantação e o que ditam os códigos florestais. Tais códigos foram construídos com base na ciência e muito mais no bom senso ambiental, esses códigos pré-estabelecem as faixas de terra, devendo sempre respeitar os cursos das águas, açudes, lagos ou banhados, devendo sim, ser muito respeitado.

      Se você esta a procura de opções diferenciadas de plantio e maior rentabilidade, uma das opções tem sido em grande volume a escolha pelo cultivo do eucalipto clonado, esta determinação tem provado para uma grande parte de pessoas que ela vai lhe proporcionar melhores características da árvore, bem mais segura.

      Os benefícios são bem visíveis, a produtividade de uma muda clonada chega a 65 m³ ao ano, enquanto que, no plantio de eucalipto de semente  pode-se chegar a 35 m³ por ano, sem contar que o tempo de corte para um eucalipto clonado relacionando ao plantio de eucalipto com sementes é bem menor. Estudos comprovam que a diferença pode alcançar a 2 anosA muda de eucalipto clonado já esta desenvolvida quando do plantio, são mais resistentes às doenças e as pragas, também as geadas e ferrugem. Muitos produtores que optaram por esse tipo de plantio estão sentindo a grande diferença entre os dois tipos.

      O principal fator que diferencia essas duas formas de plantio é a homogeneidade. No cultivo com os clones é mais fácil manter uma área com as mesmas características no solo, evitando a competição com outras espécies. Logo, o plantio com sementes é mais propenso a formar um ambiente heterogêneo, o que pode retardar o crescimento da vegetação trabalhada.

      Acompanhe a explicação e observe duas plantações que utilizaram plantios diferentes para o seu desenvolvimento. E lembre-se a IMPÉRIO FLORESTAL tem as mudas certas para a implantação de sua floresta.


    Formiga: Melhor Prevenir do que Remediar.





      
      O velho chavão de que é melhor prevenir que remediar também serve para o controle de formigas cortadeiras. Quando se faz agricultura é preciso planejar as ações, assim como o agricultor planeja a aração, gradeação, tem de planejar o controle das formigas também. O produtor  tem de ter em mente que precisa, antes de mais nada, matar a formiga na época certa, aplicar o inseticida correto e só depois fazer as operações de movimentação do solo. Se colocar máquinas pesadas para trabalhar a terra antes de liquidar as formigas, podem sobrevir alguns dissabores.


     Conhecidas como saúvas ou quenquéns, as formigas cortadeiras são capazes de provocar danos consideráveis em mudas de diversas espécies e até mesmo a morte da planta, entre elas está o Eucalipto. Por esse motivo, o combate a esse tipo de praga deve ser feito antes mesmo do início do plantio, aconselhável pelo menos um mês antes e se estendendo a uma faixa de até 100 m da área a ser plantada.

      Dentre os principais métodos existentes de combate às formigas, o pó seco é um dos mais usados. Esse método consiste na aplicação direta com bomba insufladora do pó formicida diretamente no formigueiro, matando as espécies que entram em contato com o produto.

      Bastante utilizado em formigueiros pequenos, vários formicidas são testados como forma de comprovação da qualidade e eficiência. A escolha do mais adequado depende do nível de infestação, da época do ano e da espécie de formiga que tende a ser combatida.


      Outro método indicado para o combate de formigas cortadeiras, porém para atividades maiores como áreas de reflorestamento, as iscas granuladas se mostram seguras, econômicas e menos agressivas ao meio ambiente. As formigas transportam a isca para o interior do formigueiro e morrem após o contato com o produto.

      De acordo com Sebastião Venâncio Martins, autor do livro Recuperação de Áreas Degradadas, editado pela Aprenda Fácil Editora, “um problema comum na aplicação de iscas granuladas é a perda das mesmas pelo contato com a umidade da chuva ou mesmo com o solo úmido”. Para controlar esse problema, segundo ele, basta manter as iscas em armadilhas plásticas cobertas que ficam suspensas do solo.

      Como o projeto de recuperação de áreas degradadas por formigas cortadeiras envolve, muitas vezes, mais de uma propriedade rural, é importante a conscientização e participação de todos os produtores rurais na realização desse combate.


    Toneladas e Toneladas

        Um sauveiro adulto (3 anos de idade) chega a ter em torno de 10 milhões de formigas.
        
        Elas são capazes de cortar uma tonelada de folhas verdes por ano.

       Para alimentar esse formigueiro, nesse período, são necessárias 86 árvores de Eucalipto ou 161 árvores de Pinus.

      Considerando-se uma média de 4 sauveiros adultos por hectare, temos um consumo estimado de 4 toneladas de folhas/ano.

        Isso tudo corresponde a 344 árvores de Eucalipto ou 644 árvores de Pinus.

        Esse dano representa uma perda de cerca de 14% das árvores de um hectare reflorestado.

      A área reflorestada com eucalipto, no Brasil, é de aproximadamente 3,5 milhões de hectares. Isso pode significar 1, 2 bilhão de árvores destruídas por ano, se considerarmos os dados de consumo de um formigueiro adulto.
       
    Se isso acontecer, é um enorme prejuízo econômico - e seria ainda maior se pensarmos em árvores perdidas: em madeira, a perda seria de R$ 19,00 por árvores destruída - ou R$ 12,5 bilhões/ano, considerando-se a área reflorestada brasileira.

      Esse potencial de prejuízo mostra a importância de se fazer um manejo adequado das formigas cortadeiras, protegendo os investimentos florestais e, ao mesmo tempo, respeitando princípios de sustentabilidade.


    Como calcular prejuízos

    Acompanhe o cálculo:

    • 1 árvore = 0,46 estéreo.
    • 1 estéreo = R$ 85,00 (média abril 2011)*.
    • 1 árvore = R$ 39,10.
    • O prejuízo das formigas pode chegar a bilhões de árvores destruídas.
    • Desse total, 55% seriam destinados para madeira, ou seja, 660 milhões de árvores.
    • Esse volume representaria um prejuízo de R$ 25,80 bilhões, aos valores médios do mercado.
    Mas a história não pára por aí. Se pensarmos em celulose, o prejuízo triplica e vai para R$ 36,99 bilhões/ano. Veja.
    • 1 árvore = 0,1 tonelada de celulose.
    • 1 tonelada de celulose = R$ 1.376,00 (US$ 893,56 - CEPEA, média julho 2011, Câmbio US$/R$ 1,54).
    • Perda de árvore destruída (equivalente em celulose): R$ 137,60.
    • Volume de árvores canalizadas para celulose = 45% ou 540 milhões de árvores/ano (cálculo sobre a projeção de 1,2 bilhão de árvores destruídas/ano).
    • Prejuízo: R$ 74,30 bilhões.
    O Brasil é o 7º colocado no ranking mundial dos plantios florestais, com aproximadamente 5,5 milhões de hectares cultivados com Eucaliptos e Pinus. Por isso, o manejo adequado e o controle das formigas cortadeiras são de extrema importância para o nosso país. Afinal, não podemos deixar que elas comam bilhões de reais todos os anos.



    DANOS PROVOCADOS POR SAÚVAS EM MUDAS DE EUCALIPTO



     DANOS PROVOCADOS POR SAÚVAS EM BROTAÇÃO DE EUCALIPTO